Nuvem
computação em nuvem

4 motivos para aderir à computação em nuvem

Talvez, neste momento, você esteja usando a computação em nuvem, mesmo sem saber. Esse recurso vem sendo cada vez mais usado pelas pessoas e principalmente pelas empresas.

O cloud computing, termo em inglês para computação em nuvem, traz diversas vantagens para os negócios. Neste artigo, você vai saber tudo sobre esse tema e como a sua empresa pode se beneficiar aderindo à computação em nuvem.

 

O que é computação em nuvem?

A computação em nuvem permite o acesso a servidores, bancos de dados, armazenamento, rede, software, análise e inteligência, pela internet (nuvem).

O termo nuvem se explica pelo fato de que todos esses recursos podem ser acessados sem a instalação de programas ou aplicativos.

A principal característica da computação em nuvem é a mobilidade, isso porque todos esses serviços podem ser utilizados online, de qualquer lugar do mundo.

Outro ponto de destaque é que as empresas não precisam investir em servidores físicos para armazenamento de dados.

Assim, o seu negócio paga apenas pelo que usa, e pode reduzir ou aumentar a demanda quando quiser, economizando dinheiro e espaço.

Com acesso à internet, qualquer pessoa de uma determinada empresa pode acessar documentos, planilhas e outros arquivos por equipamentos diversos como smartphones, tablets, notebooks e desktops.

Porém, antes de aderir à computação em nuvem, você precisa conhecer os tipos para decidir qual mais se adequa ao seu negócio.

 

Os tipos de nuvem

Existem três tipos diferentes de nuvem: pública, privada e híbrida. Cada um dos modelos tem suas particularidades. 

 

Nuvem pública

A nuvem pública pertence a um provedor de serviços terceirizado. Neste caso, essa empresa fica totalmente responsável pela computação em nuvem incluindo: servidores, armazenamento, hardware, software, suporte etc. Neste tipo de nuvem, você e sua equipe podem acessar todos os recursos disponíveis através de um navegador da web como Google Chrome e Internet Explorer.

 

Nuvem privada

A nuvem privada é aquela utilizada por apenas uma empresa. Neste caso, a nuvem privada pode estar em um datacenter na sede da empresa ou hospedada em provedores de serviços terceirizados. A nuvem privada requer uma rede também privada para manter seus serviços e infraestrutura.

 

Nuvem híbrida

Assim como sugere o nome, a nuvem híbrida combina as nuvens pública e privada, permitindo que todas as informações sejam compartilhadas entre elas. A nuvem híbrida aparece como uma boa opção porque sua empresa não fica restrita a apenas um tipo de nuvem e tem mais flexibilidade na hora de compartilhar seus dados, além de mais segurança.

 

Tipos de serviços de nuvem

Além de tipos de nuvem, também existem diferentes opções de serviços provedores de computação em nuvem.

 

IaaS: a Infraestrutura como Serviço (IaaS) oferece às empresas os recursos mais básicos da computação em nuvem como servidores, armazenamento, redes e sistemas operacionais, e o seu negócio paga apenas pelo que usar.

 

PaaS: a Plataforma como Serviço (PaaS) oferece um ambiente completo para desenvolvimento, teste, fornecimento e gerenciamento de aplicativos. O PaaS é a opção perfeita para desenvolvedores de aplicativos móveis ou web.

 

SaaS: o Software como Serviço (SaaS) é o mais comum e conhecido dos serviços de nuvem e atende principalmente os consumidores finais (Netflix, por exemplo). Porém, existem diversas opções para as empresas como CRMs, ERPs, arquivos para criação e edição de texto, planilhas, apresentações etc.

 

O uso da computação em nuvem vai desde o envio de e-mails e a edição de documentos até quando assistimos filmes e séries e ouvimos músicas a partir de um serviço online. No caso das empresas, as possibilidades também são muitas:

 

- Criação de aplicativos e softwares

- Armazenamento e análise de dados

- Backup e recuperação de informações

- Compartilhamento de mídias diversas 

- Gestão de documentos de negócio

- E muito mais

 

Mas, por que aderir à computação nuvem?

 

4 motivos para aderir à computação em nuvem

Agora que você já sabe o que é computação em nuvem, os tipos de nuvem, serviços e alguns exemplos de uso, confira porque sua empresa deveria aderir a este recurso.

 

1. Redução de custos

Aderindo à computação em nuvem, sua empresa não terá um custo inicial com infraestrutura de TI, hardware, software e servidores, que incluem gasto com espaço físico, energia, refrigeração e manutenção, além da contratação de profissionais para o gerenciamento de data centers. Reduzindo esses custos, sobra mais capital para investir em outras áreas estratégicas para o seu negócio.

 

2. Aumento da produtividade

A computação em nuvem vai aumentar a produtividade de seus profissionais de TI, uma vez que eles não terão mais que se preocupar com hardware, software, manutenções, atualizações e outras tarefas demoradas. Os principais provedores de serviços de nuvem utilizam datacenters seguros, atualizados constantemente para proporcionar alto desempenho aos usuários, no caso, as empresas contratantes. 

O serviço de nuvem sob demanda também dá mais velocidade, flexibilidade e praticidade aos usuários da nuvem, que podem acessar seus recursos em minutos, com poucos cliques.

 

3. Escalabilidade operacional

Através da computação em nuvem, você paga apenas pelo que usa, e pode aumentar o espaço de armazenamento, por exemplo, sempre que precisar. Além do armazenamento, é possível aumentar também outros recursos como a largura de banda. Isso permite alta escalabilidade para as suas operações.

 

4. Segurança

Os maiores provedores de serviços de nuvem adotam as mais avançadas medidas de segurança do mercado para proteger os dados de seus clientes contra ameaças e ataques cibernéticos. A confiabilidade da computação em nuvem é garantida pelo espelhamento dos dados em diversos sites redundantes na rede da empresa provedora. 

 

Portanto, fique tranquilo(a). Na nuvem, sua empresa está segura.

 

É isso! Chegamos ao fim deste artigo. Esperamos que você tenha entendido as vantagens da computação em nuvem para o seu negócio. Agradecemos a sua leitura e até a próxima!

 

Leia também um artigo relacionado: Como aumentar a mobilidade corporativa

 

Recursos tecnológicos para uma equipe ainda mais produtiva