Transformando Produtividade
The Art - and Science - of Iteration

A arte e a ciência da iteração

Se você está em atividade, sabe que a tecnologia muda rapidamente e continua acelerando.

Basta considerar o fato de que Steve Jobs apresentou com destaque o iPhone, um produto que gerou uma revolução tecnológicas em diversos setores e literalmente transformou o mundo em menos de uma década, há apenas nove anos. Em seu livro, Think Big, Act Small, Jason Jennings cunhou o axioma de que nos negócios não é mais o grande que acaba com o pequeno; é o rápido que elimina o lento. 

A velocidade e agilidade da sua empresa são mais importantes do que nunca. Mas, infelizmente, a velocidade de tráfego das informações está mais rápida do que antes. Com mais de metade da população mundial usando a Internet, mais de 3 bilhões de pessoas têm acesso a aprender, testar e falar sobre sua empresa ou seu produto. Antes era um sonho impossível, mas na verdade um fato muito provável.

Usando a iteração para ficar à frente da curva competitiva

Como uma empresa se mantém à frente e progride com apostas tão altas e grande demanda por velocidade? A ciência nos dá algum insight. O Science 101 na UC Berkeley revela que o processo da ciência não se trata de processo ou metodologia. O real processo da ciência é a iteração. A ciência encontra a verdade ao criar uma hipótese e repetir testes até que a verdade apareça. Esta é uma lição valiosa ao começar novas ideias ou empreendimentos com a sua empresa.

Os setores em que estamos explodiram nos últimos cinco anos, com eventos e a angariação de fundos ficando cada vez mais populares. Combine esses setores em rápida evolução com a tecnologia dinâmica da Web e você terá um desafio considerável para se manter à frente e relevante. Veja sete etapas que temos usado para transformar a iteração em uma forma de arte. Com elas, podemos ficar à frente do mercado enquanto introduzimos rapidamente produtos e recursos que os clientes adoram.

1. Comece com o motivo

Talvez a melhor conferência do Ted Talk seja a que foi realizada por Simon Sinek , que faz uma revelação poderosa sobre o motivo de alguns produtos e serviços terem sucesso e outros desaparecerem. Na base do seu processo iterativo, você precisa estar convencido do motivo de o trabalho ser importante e relevante. Em outras palavras, você deve ter uma visão clara e documentada sobre os benefícios ou da necessidade do mercado pelo seu produto ou serviço.

2. Documente

Todas as ideias parecem boas até que você as desenvolva completamente. Tente colocar no papel o conceito completo, do início ao fim. Documentar a sua ideia, mesmo sob a forma de rascunho, a torna real e avalia seu mérito rapidamente. Usamos ferramentas como Balsamiq e Draw.io para criar maquetes, interfaces, diagramas e fluxogramas. Exponha suas ideias e seja rápido. Se tudo parece bom, comece a planejar o projeto com  AsanaBasecamp ou Trello.

3. Crie um protótipo

Desenvolvimento e fabricação são processos caros. Porém, as ferramentas de hoje permitem produzir protótipos rapidamente para seu software ou produto sem um grande investimento. Para cada recurso novo ou ideia que temos, fazemos um protótipo clicável usando o Invision. Na verdade podemos simular a aparência e o funcionamento do recurso em questão de poucas horas. O livro de Timothy Ferris, The 4-Hour Workweek, apresenta uma seção excelente sobre a criação rápida de protótipos em qualquer tipo de negócio ou serviço sem ultrapassar o orçamento.

4. Faça teste beta com clientes reais

Quando desenvolvemos um novo recurso, não o lançamos e cruzamos os dedos. Nós o lançamos seletivamente para alguns dos clientes que vão usá-lo, testar seus limites e nos dar feedback. A qualquer momento, temos meia dúzia de recursos secretos que são liberados para alguns clientes. Isso nos permite revelar as falhas e evitar ridicularização por termos lançado muito cedo.

5. Colete feedback imediato

Ter dados é tudo. As pessoas os usam ou não? Elas adoram ou odeiam? São intuitivos ou ultrapassados? Saiba a verdade. Existem inúmeras ferramentas e recursos, como UserTestingKissMetricsMixpanel e Optimizely , que ajudarão a descobrir o que os usuários realmente acham do seu produto ou serviço. Não confie em sua intuição; tenha dados reais e honestos.

6. Refina, reduza e aprimore

Neste ponto, você tem dados reais e casos de uso reais. Você vê o que estava habituado e o que foi ignorado. Você vê o que funcionou e o que não funcionou. Sobretudo, você descobre o que foi desperdiçado. Depois de obter feedback do seu grupo inicial, você descobre rapidamente o que precisa melhorar. Reserve este momento para reduzir os elementos que as pessoas não usaram. Seja agressivo ao remover recursos e aprimoramentos que talvez não sejam absolutamente necessários.

7. Repita e lance

Use o que aprendeu e repita o processo acima até que o seu produto ou serviço esteja pronto para o lançamento. Além da comprovação do produto ou serviço, você terá vários embaixadores que farão elogios com o lançamento. E o melhor de tudo é que eles vão começar a trabalhar na sua próxima grande ideia – quando você começar todo o processo de iteração novamente.

Thumbnail
Thumbnail