Estrutura de cibersegurança Zero Trust
 

Zero Trust: o que é e como colocar em prática na sua empresa

As transformações provocadas pela pandemia trouxeram uma série de novas oportunidades para as empresas no setor da tecnologia.

Infelizmente, com o bônus, também veio o ônus: segundo matéria publicada no site Valor Investe sobre uma pesquisa da Kaspersky, a quantidade de ataques cibernéticos aumentou em 23% no Brasil em 2021, chegando a assustadoras 1.400 ameaças por minuto. 

Com isso, boas práticas de segurança digital, especialmente para empresas, são cada vez mais necessárias, já que um dos pilares da transformação digital é a segurança de dados e informações.

A boa notícia é que existem diversos modelos de cibersegurança que podem proteger as empresas de atividades maliciosas, como no caso do Zero Trust.

Mas, afinal, o que é e como funciona o Zero Trust?

Continue lendo este artigo e descubra.

Boa leitura!

 

O que é Zero Trust? 

Como sabemos, existem diversos tipos de ataques que malfeitores utilizam para invadir os sistemas, como ransomwares, phishings, trojan horses, entre outros. 

O Zero Trust é uma estrutura de segurança de rede cujo objetivo é fortalecer e aprimorar a proteção por meio da autenticação de usuários.

De forma clara, é um modelo que permite que apenas pessoas e dispositivos autenticados acessem aplicações e dados de uma rede. 

Seu nome, do inglês "confiança zero", baseia-se no princípio de que muitas vulnerabilidades surgem devido à liberdade dada por algumas empresas a seus colaboradores no acesso à sua rede interna e utilização de dispositivos.

O conceito do Zero Trust é justamente reduzir esses acessos para ajudar a corrigir falhas de segurança digital

Além de proteger as informações da empresa, a estrutura também aumenta a segurança dos usuários autorizados contra as várias formas de ameaças avançadas originadas da internet. 

 

A importância do Zero Trust

Com o crescimento do trabalho remoto nas empresas, o grande desafio das corporações é controlar o acesso a softwares, programas e aplicativos a partir de tantos dispositivos localizados em diferentes pontos. 

Por essa razão, as empresas estão adotando a metodologia do Zero Trust, que, em suma, trata-se da verificação do usuário antes de confiar o acesso às suas aplicações.

A estrutura segue um modelo diferente das estratégias tradicionais, como VPNs e firewalls, que criam um perímetro em torno da rede para dar permissão a usuários autenticados.

Com o Zero Trust, esse perímetro é substituído por uma maneira diferente e moderna de acesso, já que os colaboradores podem estar em locais de grande distanciamento uns dos outros. 

Além disso, é imprescindível que as empresas possam ter certo controle sobre esses pontos de acesso, uma vez que a LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados) em vigor ainda encontra barreiras de conformidade. 

Logo, o Zero Trust é importante para atender às seguintes demandas atuais de trabalho: 

  • Permitir acesso autorizado somente a colaboradores e dispositivos credenciados, estando esses longe ou não da zona de controle da empresa; 
  • Promover uma transformação digital muito mais segura e com menos riscos;
  • Antecipar-se a ameaças antes que elas surjam;
  • Modernizar e adequar os atuais modelos de negócios e trabalho.

 

Os caminhos do Zero Trust

Em uma matéria do portal IT Forum sobre o relatório CISO Priorities Flashcard 2022 realizado pela Lumu Technologies, 60% dos diretores de segurança da informação (CISO) afirmaram que a estratégia de Zero Trust é urgente nas empresas.

Essa urgência foi dividida por profissionais em segurança cibernética no Brasil, Estados Unidos e países da América Latina. 

De acordo com o mesmo estudo, 70% dos brasileiros disseram que a medição de comprometimento é uma prioridade

Conforme mencionado por Germán Patiño, vice-presidente de vendas da Lumu Technologies para a América Latina, com inúmeros projetos de cibersegurança tendo que competir por recursos e horas de trabalho, a busca por iniciativas e soluções de proteção adequadas para cada infraestrutura é primordial.

 

Conheça os benefícios do Zero Trust

Os profissionais de TI encontram-se com desafios cada vez mais complexos, haja vista a realidade de tantas empresas que hoje estão adotando o trabalho remoto. Mas não só isso: mesmo com o trabalho presencial, esses desafios existem e, para isso, o Zero Trust é uma medida eficaz para superá-los.

Com isso, também é possível otimizar o tempo desses profissionais e reduzir os custos na área.

Fatores como acesso seguro a aplicações, confiança de rede e complexidade são alguns dos principais desafios que o Zero Trust pode superar.

 

Aplicações acessadas de forma mais segura

Como já dissemos, é uma tarefa muito difícil controlar quem tem acesso às aplicações e dispositivos de uma empresa, especialmente no modelo remoto de trabalho.

A equipe de TI deve estar atenta às novas formas de acesso e avaliar tecnologias disponíveis que permitam um acesso simples, porém seguro, às suas informações.

O modelo Zero Trust é capaz de reduzir riscos e também a complexidade desses acessos, proporcionando uma experiência mais consistente.

 

Aumento de confiabilidade da rede

Os profissionais de TI precisam pensar em estratégias para garantir que os colaboradores se conectem de forma segura à internet, independentemente de onde estiverem.

A estrutura do Zero Trust permite melhorar os níveis de segurança de forma proativa, identificando, bloqueando e eliminando as possíveis ameaças cibernéticas ao negócio.

 

Mitigação da complexidade e recursos de TI

Como é sabido, as tecnologias em uma empresa são de ampla complexidade e por conta disso as mudanças para melhorias podem demorar dias, tornando necessária a utilização de muitos recursos de software e hardware.

Para que o consumo desses recursos sejam proveitosos e até mesmo evitado, o modelo de cibersegurança Zero Trust é capaz de reduzir horas de trabalho intenso com essas modificações, e também diminuir a complexidade da arquitetura de TI. 

 

Como implementar o Zero Trust na sua empresa

A implementação da estrutura de segurança Zero Trust, a princípio, pode aparentar complexidade. No entanto, essa tarefa torna-se muito mais simplificada com o auxílio de um parceiro tecnológico de confiança.

Caso opte por implementar internamente, a própria empresa também pode montar uma equipe especializada de TI para remodelar o ambiente da rede, a fim de colocar em prática essa arquitetura.

Outro ponto importante a se destacar é adequar esse novo modelo à cultura organizacional. Recomenda-se uma comunicação clara, que informe os motivos e a necessidade da adoção de um sistema mais protegido, para que não gere receios ou má interpretação por parte dos colaboradores.  

Uma conversa franca entre os envolvidos no processo é fundamental para se manter o clima harmônico e condizente com essa cultura.

 

Lenovo: soluções em storage para o Zero Trust

Agora que você já conhece a estrutura Zero Trust e os seus benefícios, acredita que ela pode ser útil ao seu negócio?

A Lenovo conta com soluções em storage que podem te auxiliar na implementação dessa arquitetura confiável e segura para a sua empresa, entenda como a modernização das soluções de armazenamento fazem parte da implementação de uma política de Zero Trust neste e-book.

Continue acompanhando nossos conteúdos no blog e nas redes sociais e saiba mais.

Até a próxima!